Nunca chame ela




Essa história aconteceu com meu tio em 1981 quando minha tia estava grávida do meu primo. Casaram-se e mudaram pra uma fazenda em São Joaquim da Barra interior de (SP). 

Toda vez que minha tia chegava à fazenda sentia fortes dores em sua barriga, reclamava muito de sua dor e meu tio xingava muito a palavra ''Desgraça'' era esse palavrão pra lá e pra cá...A todo momento.

 Em uma tarde minha tia lavou suas roupas e resolveu ir para a cidade, pois a dor estava muito forte e disse para meu tio recolher e guardar.

Meu tio foi dormir e á tarde umas 18h00min, acordou com barulho na cozinha como se alguém estivesse derrubando tudo, panela, cadeira, copos, talheres, pratos etc. 

Levantou-se assustado e foi ver o que estava havendo e quando chegou à cozinha,
 Estava tudo quieto, em seus devidos lugares. 

Meu tio muito assustado tornou a xingar ''Desgraça'' e foi recolher a roupa quando recolheu as primeiras peças de roupa e foi por em cima do tanque estava uma mulher de 2 metros de altura,com a cara toda deformada,cabelos longos até os pés e completamente nua. 

Meu tio ficou paralisado e sem reação não conseguia se mexer de tanto medo e ela disse: 

"Antônio, por que essa cara? Você me chamou tanto. Oi estou aqui."

  Meu tio saiu correndo dali, sem olhar pra trás, correu da fazenda até a cidade e chegou aqui todo branco. No outro dia ele mandou buscarem seus móveis e mudou para a cidade e até hoje dizem que ninguém consegue morar naquela casa.



Autor anônimo

Comentários

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *