Cachorro branco

De todas as criaturas de minha infância que me assustavam, não era mula sem cabeça, nem lobisomem ou muito menos fantasmas, apesar de sentir arrepios na nuca quando hoje ainda me lembro de meus terrores de criança. Pois de todos eles tenho medo de um cachorrinho branco. Estão rindo não é, pois depois de ler meu relato duvido que irão pensar duas vezes ao passar em ruas escuras as altas horas da noite sem olhar para trás,(Não faça isso!).Tinha meus 16 anos e jápensava ser dono do meu nariz, tinha uma moto, ia onde queria, meus pais só diziam para não chegar tarde quando saísse, mas obedecer pra que. Meus primos eram danados para contar estórias de fantasmas, eu adorava ouvir somente para sentir arrepios.Ao fim dos contos que fazíamos no fundo da casa da minha tia sob a luz de uma fogueira sempre terminavam com uma frase"Cuidado com o cãozinho branco", eu ficava sem entender.No outro final de semana teria festa de exposição a uns 2km da casade minha tia ,sexta-feira feriado, fui dormir com meus primos para no dia seguinte ir para o parque de exposição, chegando lá minha tia disse que teriam de viajar pela manhã mas eu podia ficar com a chave da casa, beleza pensei. Nesta mesma noite (quinta-feira) me contaram a estória do cãozinho, fiquei arrepiado só de lembrar como na época que me contaram. No outro dia saíram e fiquei só pela casa assistindo TV e dormindo pois a noite prometia e não iria querer dormir tão cedo. A noite cai, tomo um banho e saí para a festa de peão, como era perto resolvi ir a pé mesmo, conheci várias garotas lindas, beijei muito, até transei com uma num estábulo,estava boao noite mas o show tinha acabado,estava cansado e resolvi voltar por uma estradade terra mal iluminada para encurtar o caminho, quando tudo teve inicio ali, ouvi uns latidos ao longe, que se iam aproximando cada vez mais, de repente um vento frio e cortante passa por mim, os latidos se tornaram ganidos echoros como se um filhote de cachorro estivesse sendo espancado, estava atrás de mim, apressei o passo, e o som me seguia de perto, umasombra me acompanhava,nãoera o meu, meu coração acelerou, então fiz a maior burrada da minha vida ,olhei para trás, um cãozinho branco estava me observando e chorando, fixei o olhar em seus olhos e a metamorfose começou, ele se transformou num enorme cão negro com olhos vermelhos brilhantes, a boca saindo uma baba branca e das suas patas saiam fogo, ele arreganhou os dentes e começaram a latir, meus nervos ficou a flor da pele, meus instintos diziam "corra",foi o que fiz, sentia a bafo quente dele próximo a mim, chegou a arranhar minha perna e uma dor forte como se tivesse queimando então caí no chão, o cão veio por cima de mim, lutando com todas minhas forças agarrando seu pescoço para que não me mordesse, a baba escorria em minha roupa como ácido queimando tudo até chegar em minha pele , ouvi o cantodo galo ao longe, estava amanhecendo, tudo silencioue o cão desapareceu, saio correndo dali e suado chego na casa de minha tia, procuroremédios para minha perna e meu corpo, tomo um banho e durmo profundamente. Hoje trago comigo as marcasdesse encontro mas quando conto uma estória, poucos acreditam além de meus primos que também me mostram suas cicatrizes de luta."NÃO OLHE PARA TRÁS". PS. Quer saber a estória do cãozinho branco, em breve postarei neste site.

Comentários

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *