A árvore da estrada

Essa lenda é apenas uma historia que contam aqui onde moro, interior de SP, mas não deixa de assustar as pessoas. Eu mesmo já presenciei algo parecido com meus amigos. certa noite, de ano novo, eu e meus amigos estavamos indo para a cidade comemorar, até que chegamos no meio do caminho, era o ponto isolado ali, não se via nem ouvia nada de nenhum dos lados, exeto uns morros ao longe e um matagau, mas isso bem longe, a unica coisa que se via em uns 100 metors de distancia era pasto, entao, estava la, eu e meus amigos andando, confesso, estava com medo, desde criança tive medo daquele lugar, era bem estranho, não havia nada, apenas uma unica e solitaria arvore a beira da estrada. era ano novo, mais não escutavamos um unico barulho de fogo de artificio, uma unica luz ao longe, estavamos sozinhos, nós e a árvore. qaundo passei pela árvore senti arrepios, qaundo a árvore foi dexada para traz,arrumei coragem para falar: Ei mais deixando isso de lado, quando voces passaram pela arvore, sentiram algo estranho? ninguem falou nada, parecia que alguem tinha desligado o som. -eu meio que senti um arrepio.. foi essa a frase usada por todos "senti um arrepio". aconteceu com todos. combinamos de não contar a ninguém, não queriamos que a noite acabase mau. entam,as 3 da manhã, combinamos de ir embora, tentamos arranjar carona, mais todos que chegavam perto pareciam não gostar da nossa presença, tivemos que ir embora a pé. assim que chegamos na estrada que dava acesso a nossas casas, vimos alguem, um vulto preto chegou para nos e disse: -passem o que tiver, rapido se não quiserem virar presunto. confesso, a figura do rapaz era bem bizara, tinha um oculos do tamanho de sua testa, era careca, exeto por uns tufinhos dolado, era magro e vestia um cazaco tão grande que quase o derrubava, ou talvez fosse efeito da bebida, tinha uma pistola no bolso, se não fosse isso, poderia lutar conta dele, mais , tivemos que dar o dinheiro que tinhamos, o pouco que se tinha sobrado da festa. contente com o dinheiro recebido, dava uns 30 reais, o ladrãozinho saiu pulando pela estrada. recomesamos o percurso mais rapido, com mais medo do que na ida. -vamos correr? acho que correndo não levamos mais de 10 minutos. todos concordaram, já não se preocupavam em esconder o medo. comesamos a correr em linha até que chegamos na área da arvore, tudo tinha ficado quieto novamente, por invcrivel que pareça estava mais claro e pudemos ver um vulto em nossas frentes, era o ladrão -vamos mais rapido, podemos desarmalo e recuperar nosso dinheiro. contudo não havia onde nos esconder, ai que aconteceu a coisa mais improvavel daquela noite. o ladrão parou para mijar, e adivinha onde? na arvore. qaundo vimos a cena, congelamos -corremos? -e o dinheiro? -quero que se f*** o dinheiro, não volto mais aqui, eu vou correr todos fizeramo mesmo. qaundo passamos pelo bandido ele disse um debil "EI!". corri o mais rapido que puder,ainda longe e com o barulho dos passos apresados pude ouvir o estrondo que algo caindo no chão, olhei para trás e não vi nada, exeto a arvore. -e o ladrao? cade ele?CADE ELE? ELE SUMIO! VOCES ESCUTARAM?! comesei a me desesperar, o quanto mais corriamos parecia que a arvore estava mais proxima. chegou a hora que comesamos a diminuir a velocidades, cançados, naquele momento,, a arvore estava a uns 5 metros de distancia, não aguentei e gritei: -AAAAAAAH! NÃO! PORFAVOR! uma maçã caio da árvore e no lugar que ela caiu estavam nossos pertences. pegamos eles e comesamos a andar, não nos atrevendo a mover mais algum musculo. quando estavamos mais longe, em atrevi a olhar pra traz, e vi o sol, o sol das 5 da manhã que batia nas folhas da arvore que a distancia parecia pobre e fragil, porem mais bonita do que nunca. no dia seguinte, saiu no jornalzinho da cidade:"homicidio ou suicidio?".Parei para ler:"um corpo de um homem, barbaramente mutilado, foi encontrado em uma forca, numa arvore na estrada que liga a cidade. -não pode ser suicidio - afirma o policial responsavel pelo crime - ele não poderia se auto mutilar quando estava na forca, e não tinha condiçoes de subir nela, mutilado de modo que está. não á duvidas que foi um homicidio, ainda mais a marca na arvore deixa tudo isso claro." a foto da arvore estava lah, onde se podia ler, claramente em uma caligrafia cavernosa "o coração move o homem, então cuidado com seus passos." hoje em dia, todas as vezes que passo por lá, tenho o cuidado de reparar na arvore, e sorrir, e ter a impreção que ela sorrio de volta para mim.

Comentários

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *