novela Lado a lado

último capítulo da novela Lado a Lado, escrita por Cláudia Lage e João Ximenes Braga. Este folhetim abordava os conflitos sociais no Brasil em sua transição para a república. Mas, o interessante é que esta novela possui muitas lendas e mensagens subliminares, que veremos abaixo: Fantasma do Ex-Morador da Favela Que Apareceu Há boatos de que algumas gravações externas foram feitas numa favela desativada e numa das cenas onde o personagem Zé Maria ensina capoeira às crianças, em frente a alguns casebres, é possível ver um homem vestido de preto ao fundo. Segundo a direção da novela, aquele homem não estava nas gravações e nem era figurante. Logo, surgiram boatos de que esta misteriosa pessoa tinha a mesma aparência de um rapaz que foi assassinado naquela ex-favela, quando ela ainda estava ativada. Músicas com Letras Subliminares: Assustadoras, mesmo, são algumas letras de música da trilha sonora desta novela. Há uma canção chamada Inferno, da banda musical Nação Zumbi e a letra está cheia de mensagens subliminares, verifiquem: “O inferno nem é tão longe (Eu sei) Bem depois de onde nada se esconde Mais perto do que distante Não demora muito e ele chega pra qualquer um No coração das trevas estou E já não tenho mais direção Num labirinto sem cheiro e sem cor E o braseiro acendendo o chão No coração das trevas estou E já não tenho mais direção Num labirinto sem cheiro e sem cor E o braseiro acendendo o chão O inferno nem é tão longe (Eu sei) Bem depois de onde nada se esconde Mais perto do que distante Não demora muito e ele chega pra qualquer um O paraíso nunca vem de graça E quando chega, nem demora tanto” Porém, mais assustadora do que esta canção é a letra da música intitulada Olhos Castanhos, de Daniel Peixoto, pois a canção fala de certo tipo de exorcismo, como veremos abaixo: “Eu me encolho, me contorço Agonizo, despedaço Eu me corto, cicatrizo Passa algo estranho Nos meus olhos castanhos Passa algo estranho Nos meus olhos castanhos Me atormento Eu me cego, paraliso Eu me castro, me maculo Eu me vingo, me maltrato Eu me nego Eu me livro, regenero, reconstruo E sobrevivo Passa algo estranho Nos meus olhos castanhos Passa algo estranho Nos meus olhos castanhos” Logo, na primeira estrofe, fica nítido que a pessoa está possuída por alguma entidade maléfica. Já a partir da segunda estrofe é claro que a criatura é autodestrutiva e pratica uma técnica conhecida como “cutting”, onde a pessoa se corta, geralmente, induzida por um espírito obsesso. Já na terceira estrofe, é realizado o exorcismo e a pessoa, pouco a pouco, se sente curada. Estas são algumas lendas urbanas e mensagens subliminares da novela Lado a Lado.

Comentários

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *