O palhaço das sombras

Atenção
Queria pedir a todo vocês que por favor mande suas lendas para nós isso é muito importante.

O palhaço-sombra é uma espécie de artista que fica nas ruas famosas, de preferência das grandes cidades, imitando os pedestres que passam com graciosidade. Este tipo de animador surgiu na Roma Antiga, mas teve seu ápice nas brincadeiras renascentistas do Carnaval de Veneza. Já, na Idade Moderna, surgiu o costume de um credor contratar um artista vestido de palhaço para seguir e imitar os gestos, pelas ruas, da pessoa que estava lhe devendo. Pois esta seria uma maneira do povo saber que o imitado era um mau pagador. O curioso é que a palavra sombra é usada, em algumas culturas, como o sinônimo da palavra diabo. Por isto, é comum aquele ditado que diz: “todo mundo tem seu lado sombra.” Reza a lenda que quando seguimos uma pessoa e a imitamos, por trás, corremos o perigo de pegar as suas vibrações tanto positivas quanto negativas. Em Curitiba, nos anos 80, surgiu um palhaço-sombra na Rua Quinze de Novembro, a mais movimentada do centro da cidade, que seguia e imitava qualquer pessoa que surgisse naquela rua, com o objetivo de divertir os demais freqüentadores. Este artista usava maquiagem de circo e vestes variadas. Porém, uma das suas fantasias era uma roupa de presidiário, toda listrada em preto e branco. Este primeiro palhaço-sombra nunca fazia brincadeiras desrespeitosas com as pessoas. Inclusive, tinha momentos que era muito gentil. Nos anos 90, este artista deu um pequeno intervalo. Então, dois animadores argentinos tomaram o seu lugar. Estes atores portenhos tinham brincadeiras mais ousadas, como exemplos: imitar pessoas com necessidades especiais, abraçar e beijar na boca as mulheres na rua causando, ás vezes, certo constrangimento. Sempre fui uma pessoa tímida e só dei o meu primeiro beijo aos 23 anos. Quando eu completei 24 anos, costumava passar muito na Rua Quinze de Novembro para procurar emprego nas firmas e lojas da região. Certo dia, eu tinha feito um teste para um serviço e estava passando, distraidamente, na Rua Quinze, quando de repente, escutei um apito. Como um raio, um palhaço me pegou para dançar e exclamou: - Vamos a bailar! Então, este artista começou a dançar comigo no meio da rua e, no final, acabou dando um selinho na minha boca, o que me causou constrangimento. Logo pensei: - Não acredito que o meu segundo beijo foi com o palhaço-sombra argentino, na Rua Quinze de Novembro, e na frente de dezenas de pessoas! Então, lá pelo ano 2000, os artistas argentinos deixaram a rua mais movimentada de Curitiba e deram a vez para outro palhaço-sombra, que já era um senhor de idade. Reza a lenda que este idoso faleceu no ano de 2004 e que, à noite, o seu espírito começa a seguir e a imitar as criaturas que andam pela Rua Quinze. Por isto, são comuns os relatos de pessoas, que passam pela rua mais movimentada de Curitiba e sentem que alguém está as seguindo. Porém, quando olham para trás não enxergam ninguém. Mas, a sensação de que alguém está fungando nos seus pescoços é nítida. Pois é, pelo jeito, este é mais um mistério de Curitiba. Depois, em 2005, o primeiro palhaço-sombra, aquele mesmo que começou nos anos 80, voltou a atuar permanecendo assim até outubro de 2013. Pois, dia 3 de novembro este artista foi envolvido numa confusão. Segundo testemunhas, ele estava andando por uma rua perto da sua casa, no bairro Parolin, quando, de repente, um marginal conhecido na região passou a segui-lo com intenção de assaltá-lo. O artista quando percebeu tudo, pegou uma faca e matou, em defesa própria, o bandido. Após isto, autoridades afirmaram que o ator ficará preso somente por alguns dias. Afinal, tudo indica que o artista agiu por legítima defesa. O curioso é que, por coincidência, uma das fantasias que o animador usava para trabalhar, na Rua Quinze de Novembro, era a de presidiário. Moral do causo: até os artistas de rua, estão sujeitos a sofrerem violências e injustiças quando saem de casa, e, infelizmente isto não é apenas uma simples Lenda Urbana.

Comentários

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *