Cabana na mata

Acordei assustado em meio a uma mata, bati a mão sobre minhas roupas para que pudesse ao menos tirar o pó, estava tão bem vestido, que era de cortar o coração de ver aquela roupa que tanto cuidara estar suja.

Era finzinho de tarde, então sem problemas ainda poderia voltar, se eu soubesse o caminho, escolhi uma direção e tentei seguir o máximo em linha reta possível, e sempre marcando o caminho, para saber que não estou andando em círculos.

A sensação de estar sendo observado é constante, já escureceu, a lua está radiante iluminando meu caminho, está deslumbrante; está esfriando, então procuro ao menos uma cabana para ficar pelo menos uma noite. Que sorte logo a minha frente estava uma, bem simples, mas parecia bem confortável e quentinha. Aproximo-me, bato na porta, um senhor a abre, ele está frustrado, e me pergunta o porquê de eu ter demorado tanto, me assustei e me virei para ir embora.

No momento em que virei eu já estava dentro da casa do velho, amarrado na poltrona, a porta tinha desaparecido.

Ele começou a rir do eu desespero enquanto afiava sua faca e tesoura, nem quero imaginar o que ele ia fazer.

Começo a me debater e de repente acordo, em minha casa será um sonho ou será que era real? Só sei que me assustou...

Comentários

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *